quarta-feira, 30 de novembro de 2016

a um mês do final de 2016




A um mês do final de 2016 gosto de pensar em tudo o que fiz, em tudo o que me aconteceu ao longo deste ano. Como enfrentei os dias difíceis, do que valorizei, da forma como tropecei ou me levantei após cada queda. Sem ajudas, tive que me reerguer sozinha. Creio que é isso que me torna forte e faz de mim a mulher que sou. 

Revejo neste último mês o meu ano,... revejo cada página da minha agenda. Gosto de o fazer em silêncio. 

Não tenho a ilusão de ser feliz, apenas a força de querer tornar os meus dias mais bonitos, com mais luz e esperança. Nem sempre o consigo, mas tento. 

Já tenho uma agenda nova, com uma lista de resoluções que quero tomar no próximo ano, onde cada dia será sempre um pequeno recomeço. 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

despedida



Quase a despedir-me do outono...
Chega o frio... dentro de dias o inverno. 
As estações da vida...uma que termina, outra que começa. Cada uma nos aporta diferentes estados de alma, diferentes sentires, diferentes memórias. Todas são necessárias para que a vida se renove e renasça na primavera.
Também nós nos remetemos ao silêncio tantas vezes, para pensar, meditar, para nos reencontrar-mos e arrumar o nosso espaço interior (alma) , renovar desejos e sonhos... para renascermos mais fortes. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

vai


Vai... voa em liberdade, cruza os oceanos, o mundo... talvez um dia te encontre de novo!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

quando



Quando as tuas palavras não saem... apenas tens que descobrir onde é a tua dor e o que a causou.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

as palavras





Vida...
Certezas feitas incertezas.
O tudo que é nada.
O nada que é tudo…
O rodopio dos sentidos, das emoções, que nos trespassam…
As palavras têm a capacidade de ser tudo o que nos destrói e tudo o que nos agrega numa confluência tão evasiva quanto lapidar dos sentidos.




sexta-feira, 18 de novembro de 2016

linhas cruzadas



Tal como na vida há caminhos que se cruzam... e às vezes não sabemos por qual seguir. Há escolhas que nos podem conduzir a bom porto... outros podem arrastar-nos para o vazio...
A escolha é sempre TUA.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

numa tela em branco





Numa tela em branco há tanta vida para pintar. Os pintores chineses, antes de pintar, retiram-se para as montanhas a fim de contemplar e sentir a natureza.  Depois  transportam para a tela as suas emoções... Eis porque há tanta vida e sentimento nos seus quadros.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

boa noite



Que a luz ilumine o vosso coração. 



I believe



I don’t have any idea of who  or what God is.
But I do  believe in some great  spiritual power.
I don’t know  what to call it.
I feel  it particularly when I’m out in  nature.
It’s just something  that’s bigger and stronger  than what I am or what anybody is.
I feel it. And it’s enough for me.


Jane Goodall

terça-feira, 15 de novembro de 2016

sem amor



Andar sem amor pela vida é como ir para o combate sem música, como empreender uma viagem sem um livro, como fazer-se ao mar sem estrela-guia.

Stendhal

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

paz




Paz não significa estar num lugar onde não há barulho, nem problemas ou trabalho pesado. Significa estar no meio de todas essas coisas e ainda assim ter a calma no seu coração. A paz é um estado interior... não adianta procurá-la fora de nós.

abraça-me



Não há uma aproximação mais terna que o abraço. Esse contacto que junta os corações...

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Leonard Cohen




Nada do que eu diga a respeito da sua pessoa enquanto compositor, cantor e poeta poderá chegar, sequer, perto daquilo que ele valia e representará para sempre no mundo da música. Portanto, curvo-me em silêncio perante a sua memória.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

um sorriso de esperança



Esperança.
Num mundo a sofrer imensas transformações temos que olhar o futuro com um sorriso de esperança, como o de uma criança... porque ela na sua mais pura inocência acredita num amanhã melhor.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

statue of liberty



Depois do resultado eleitoral nos USA, com Trump como futuro Presidente, a estátua da liberdade chorou...
O que nos reserva o futuro é uma enorme interrogação.

domingo, 6 de novembro de 2016

Follow me


porque não estás aqui?


Porque não estás aqui?

Era a sua pergunta sem destinatário concreto ou conhecido, feita ao vazio e no vazio, na consciência de que nunca ninguém estaria ali, de que ali nunca haveria ninguém para vir ter com ela num tempo menos efémero, que a sua ruptura da noite teria de se fazer como até então, ao sabor das fomes repentinas e de encontros avulsos, de insatisfações permanentes e de aventuras sem compromisso, de fulgores precários e de breves epifanias, como as do fogo-de-artifício a enredarem-se no fio de Ariane interminável que ela assim desenrolava no seu próprio labirinto e nunca  nada poderia prendê-la e nunca ninguém haveria de indicar qualquer espécie de caminho que lhe dissesse respeito.


Vasco Graça Moura

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

momentos



Cada um de nós é a soma dos momentos que já vivemos.... de todas as pessoas que já conhecemos.... E são esses momentos que se tornam a nossa história para sempre. 
Momentos... é disso que é feita a vida.

incondicionalmente





Nunca devemos ignorar a coragem de quem já se despedaçou e permanece intacto, de quem já perdeu tudo, menos a dignidade, de quem gosta incondicionalmente, porque esse é o verdadeiro gostar, de quem já perdeu o chão, mas sabe que tem o céu, de quem nada espera, porque esperar faz parte da rotina, de quem não grita, mas sabe fazê-lo, de quem tem um caminho e sabe o que não quer, mesmo que isso não faça diferença nenhuma, de quem não espera o melhor de ninguém, porque sabe da sua pequenez, de quem é, porque, isso sim, é o que importa.


quinta-feira, 3 de novembro de 2016

a cor do momento



Todos sabemos que a vida nem sempre acerta o passo com o ritmo do nosso empenho e dos nossos sonhos. Mas, se enquanto esperamos, a pintarmos com a cor dos momentos que temos ao nosso alcance, o sabor da demora deixa de ser a preto e branco.